quarta-feira, 23 de abril de 2008

Cores.

Que foi? que foi? onde foi que pingou a gota de chuva com gosto verde?
Um verde, verdinho, um tanto quanto azulado e com gosto de inverno.
Escorreu no meu rosto e caminhou com o desgosto de querer existir.
Que se esqueça da carne! Não é só o que vale!
Num vermelho azulado, um tanto esverdeado o futuro iluminado começará!

Na estrada cumprida que carrega a vida amarronzada,
Caem gotas de chuva arroxeada, um tanto quanto magoada, e
É lá da beira da estrada que olho pro céu!
Por que fujo das gotas, que de lá vêm azuladas, da porta da casa de Deus?
Molham-me os sapatos, não mais sorridentes e engrachados, são de couro
como o couro do meu chapéu!

Desejo voar pra longe de tudo, num mundo sem teto e sem fundo do abismo profundo antes do existir.
Liberdade é um fardo, que assim necessário molda meu ser.
Agonia do Nada, consciência desenfreada me faz querer um chão.
Ah, sei não! Sei não... Condenado a andar, agora teria pernas e um limite a mais no limiar!
Pra quê falar se ninguém escutar?
Pra quê amar sem um coração pra pulsar?
Pra quê colorir sem dedos pra sentir? Pra quê te encontrar sem um sonho pra sonhar?

Você tem cheiro de quem eu quero bem! Eu te peço 1 e você me retorna 100!
Ai vem! Ai vem! Vem o vento ventando um vendaval de amor branco de todas as cores!
Ai vem! O cheiro de todos os sabores! O perfume colorido de todas as flores!
Vejo que você se fez como arquitetura de todas as cidades, por isso me pergunto sem maldades...
O que é você, senão pura felicidade?

Bruno DelTony

Um comentário:

Quetzalli disse...

Eu te amo mais que tudo minha vida! você dá cores ao meu mundo.. pois sem você tudo para mim é cinza.
Você é a melhor coisa que ja me aconteceu!
TE AMAREI ETERNAMENTE!